4 coisas que você não deve fazer se quer eliminar gordura corporal

Bara-Casal

Conheça atitudes e pensamentos que não fazem diferença na perda de peso ou agem ao contrário do esperado

Perder gordura não é uma tarefa simples. Algumas atitudes e pensamentos, no entanto, dificultam ainda mais o processo. Existem cinco fatores comuns no imaginário popular que não resolvem e podem até prejudicar a perda de gordura.

Conheça atitudes e pensamentos que você deve evitar se deseja eliminar gordura corporal:

1 – Não contar calorias

Contar calorias é essencial para conseguir perder peso. O esquecimento dessa diretriz tão importante resulta em quilos a mais. Essa atitude é quase tão lógica quanto dizer que quer atravessar o país de carro, mas não quer ser obrigado a prestar atenção no tanque de combustível.

Para perder gordura, é necessário queimar mais calorias do que consumimos. É preciso controlar o que comer, para não extrapolar os limites diários. Se oferecer ao corpo mais energia do que precisa, o organismo não terá incentivo para queimar gordura.

O maior problema desse hábito é a falta de planejamento. Sem contar calorias, as pessoas perdem de vista a quantidade consumida por dia.

2 – Fazer mais exercícios aeróbicos para perder mais peso

Aeróbicos ajudam, mas não compensam a comilança. Se a pessoa ingerir 600 calorias a mais do que realmente precisa, uma corrida básica, que queima 300 calorias, não vai fazer a pessoa emagrecer. As 300 calorias restantes serão armazenadas sob a forma de gordura.

Para sobreviver e manter as funções vitais, o corpo queima um determinado número de calorias naturalmente, a chamada de taxa de metabolismo basal (TMB). O gasto calórico total num dia é a TMB mais a energia despendida em qualquer atividade física. Logo, se o total de calorias ingeridas for maior do que a taxa de metabolismo basal mais as calorias perdidas com aeróbica, a pessoa vai engordar. Você pode continuar fazendo isso durante anos e nunca emagrecer. Aliás, é provável que você aumente de peso aos poucos.

3 – Seguir a dieta da moda

Existem mil tipos de dieta, e a cada mês surgem outras novas.

Essa diversidade está deixando as pessoas confusas sobre o jeito certo de perder peso. O resultado disso é que elas trocam de dieta com bastante frequência, deixando de alcançar os resultados que tanto desejam. Além disso, aceitam coisas bastante idiotas simplesmente porque não entendem a fisiologia do metabolismo e da perda de gordura.

4 – Reduzir gordura localizada com exercícios específicos

Não é possível reduzir a gordura de uma parte específica do corpo com exercícios físicos específicos. Com exercícios físicos ou dieta, é o corpo quem vai decidir onde vai eliminar gordura primeiro, ou seja, quais áreas vão ficar mais magras primeiro – e também as partes que vão resistir mais em manter gordurinhas.

Cada corpo tem a própria programação genética e não há nada que se possa fazer para mudar isso. Todos temos nossas ‘zonas gordas’, que nos aborrecem o tempo inteiro e, no entanto, não há o que fazer com a genética.

Sim, é possível ficar magro do jeito que deseja, basta ter paciência e deixar o corpo eliminar as gorduras do jeito que foi programado geneticamente.

Como ter o Corpo Mais Definido para o Carnaval

9300 2

Você pode não gostar do excesso de gordura, mas na verdade não é ela a culpada.
O verdadeiro problema está na perda de massa muscular magra, devido ao longo dos anos de programação deficiente dos horários das refeições e/ou dietas da moda.

Como funciona?

A perda de massa muscular significa a redução do metabolismo em repouso. Cada grama de massa muscular queima em repouso aproximadamente 50 calorias diariamente. Basta perder aproximadamente 2kg dessa massa muscular magra e seu metabolismo queimara cerca de 250 calorias a menos por dias = 12 kg /ANO !

Ou seja…

Quanto mais músculos você tem, maior e mais veloz é o gasto calórico, independente do seu nível de atividade, da sua idade, etc. Os músculos são tecido vivo e estão lá para trabalhar para você, queimando calorias 24hs por dia. Do total de energia gasto por uma pessoa em um dia, entre 60% e 70% são usados apenas nas funções vitais, como respirar, bater o coração, manter a temperatura corporal, etc.

Solução:

  • Faça pequenas refeições de 3 em 3 horas sempre comendo produtos a base de proteína (derivados do leite, carnes magras, castanhas…) para cada 1kg você precisa ingerir 1 grama de proteína (exemplo: 60kg = 60 gramas de proteína\por dia)
  • O valor de calorias ingeridas na alimentação precisa ser menor do que seu gasto calórico diário (exemplo no dia você ingeriu 1.200 kcal. e gastou 1.500 kcal.) Importante: Diminuir a caloria/aumentar o gasto calórico sem diminuir a qualidade dos alimentos!

Por que convivemos com a Síndrome da Fome todos os dias?

images (13)

Dizer a uma pessoa que ela está GORDA e que tudo o que precisa fazer é comer menos e se exercitar mais é como dizer a um indíviduo pobre que tudo o que ele precisa fazer é trabalhar mais e gastar menos. Equações simples como essas ignoram muito fatores.

Quando alguém aceita a idéia de que comer menos emagrece, convence a si mesmo de que precisa diminuir a ingestão de calorias. Essa é uma recomendação básica da maioria das dietas populares. O problema é que a restrição calórica quase sempre causa o EFEITO CONTRÁRIO. O motivo? O organismo pensa que está morrendo de fome e ativa processos químicos internos para forçar a pessoa a comer mais. É assim, em essência, que a SÍNDROME DA FOME funciona.

Bem-vindo à SÍNDROME DA FOME!

Os seres humanos são geneticamente codificados para fazer isso. As partes essenciais de quem somos como criaturas biológicos são projetadas para evitar a MORTE POR INANIÇÃO. Esse é um mecanismo básico de sobrevivência.

Pode ser que você tenha caído nessa ARMADILHA. Se tentou fazer dieta e restringir a alimentação com um número de calorias inferior ao necessário para o funcionamento apropriado do organismo, ativou uma cascata molecular idêntica dentro de si. Com isso, recebeu SINAIS DE FOME muito fortes para serem ignorados, reagiu e recuperou o peso do qual havia conseguido se livrar. Na maioria dos casos, as pessoas nessa situação voltam a ganhar mais do que chegaram a perder no início e acabam vítimas do clássico EFEITO SANFONA.

Mas não parece que esse processo está INVERTIDO? Se for verdade que somos geneticamente programados para engordar, isso pode dar a impressão de que recebemos uma PROGRAMAÇÃO ERRADA. Por que deveríamos ser projetados para comer demais e ganhar peso em excesso?

Tudo isso está relacionado com a parte mais antiga e primitiva do cérebro, aquela que chamamos de CÉREBRO REPTILIANO – ela evoluiu e funciona como o cérebro dos répteis. Comanda nosso comportamento de sobrevivência, criando determinadas respostas químicas sobre as quais não temos controle consciente.

Embora possamos acreditar ter absoluto domínio sobre a  mente, o fato é que exercemos muito pouca influência sobre as escolhas inconscientes que fazemos quando estamos cercados de comida.

O segredo para um METABOLISMO SAUDÁVEL é aprender quais são essas reações, como elas são ativadas e como interrompê-las. Ninguém quer se colocar na posição de RESISTIR À SEDUÇÃO DE UMA TORTA DE CHOCOLATE. Nosso desejo de comê-la dominará qualquer força de vontade que tenhamos para emagrecer. É uma experiência de VIDA OU MORTE e a torta sempre sairá vencedora.

Solução:

Um dos princípios mais importantes do emagrecimento é NUNCA FICAR COM FOME. A questão é se a quantidade de calorias ingeridas está sendo suficiente e não é excessiva. O que temos que saber é quanto precisamos comer para evitar que nosso organismo entre no estado de inanição. Quando estamos sozinhos, é praticamente impossível saber e dar atenção para tudo isso, Por isso, o papel de um coach (treinador) é essencial nessa fase.

Continue lendo

MAUS HÁBITOS ALIMENTARES. O que é necessário para mudá-los?

images (12)

Fazer uma única refeição saudável é fácil. Fazer até mesmo três refeições saudáveis em um só dia é tranquilo. Agora, difícil mesmo é fazer mudanças duradouras em sua alimentação. Para que um HÁBITO possa ser incorporado ou descartado é preciso montar uma estratégia para vencer os obstáculos.

As razões para começar a mudança devem ser pessoais, ou seja, vontade deve ser sua, gerada dentro de você e não promovida por outras pessoas, como familiares ou amigos. Você precisa querer mudar! Pense nas razões de forma objetiva: se é para melhorar um problema de saúde específico, ter mais energia e disposição ou emagrecer e ficar mais feliz consigo mesmo.

Depois, pense aonde você quer chegar. Não estabeleça metas impossíveis, mas sim pense em algo razoável e estabeleça um prazo para isso acontecer. Se pretende emagrecer 10 quilos, pense em quanto tempo consegue atingir essa meta. Reflita de forma consciente.

E, para deixar seu plano à prova de armadilhas, pense em todos os “gatilhos” que podem aparecer ao longo do caminho de modo a atrapalhar seus planos – prepare-se para vencer! Quer um exemplo? Você quer emagrecer e mudar de hábitos, mas convive, no trabalho, com um “comilão”. Então, fique longe dele na hora das refeições ou dos intervalos.

Anote seus motivos em uma folha e coloque-a em lugar visível. Defina a meta e o tempo para chegar até lá – e faça disso outra anotação. Acompanhe seu êxito, destacando as mudanças de peso a cada semana. Estabeleça objetivos de curto prazo – por exemplo, incluir de 5 a 6 refeições por dia (3 refeições e 2 lanches); e, a seguir, os de longo prazo, como emagrecer 10 quilos em três meses. Em uma espécie de diário, você pode até detalhar todos os alimentos que comeu. Também pode descrever como estava seu estado de espírito e/ou se aconteceu algo de anormal durante a refeição. São informações valiosas para reler e avaliar o que realmente funciona ou atrapalha o seu progresso.

Como Acabar com o Efeito Sanfona!!

578132_186850148173987_1917031928_n

  • Evite dietas rígidas. Quando se faz uma dieta para emagrecer, o metabolismo basal fica com um gasto calórico menor como uma forma de defesa (reserva), e quanto menor a ingestão calórica diária, menor será o metabolismo, pois o organismo vai interpretar essa situação como uma ameaça.  Dietas sem orientação e/ou acompanhadas com inibidores de apetite leva o organismo a reagir com mecanismos de preservação de calorias e a consequência é a dificuldade de se perder gordura corporal, além do risco de desenvolvimento de cálculos na vesícula.
  •  Não pule refeições, ficar sem comer por longos intervalos é umas das coisas mais prejudiciais que uma pessoas, que quer eliminar peso, pode fazer! Veja Bem: quando deixamos passar mais de três horas entre as refeições, o organismo ativa o mecanismo natural de proteção contra a inanição, quando isso acontece, o organismo acredita que está com fome, e faz todo o possível para PRESERVAR o tecido MAIS RICO EM CALORIAS que possui para assegurar sua sobrevivência. Esse tecido é a GORDURA!!! Sim, o corpo começa a armazenar gordura e, em seu lugar, consome o precioso tecido muscular que queima gordura…

Portanto, você pode estar perdendo peso na balança, mas não o tipo ideal de peso. Por isso que quando para a dieta volta ao peso anterior ou até mais.

 

Solução: A dieta deve ser equilibrada do ponto de vista nutricional e as calorias oferecidas devem ser compatíveis com a necessidade individual de cada pessoa, caso contrário o programa de emagrecimento será um verdadeiro fracasso.

Como fazer: O ideal é fazer de cinco a seis pequenas refeições diárias e reduzir a ingestão calórica, calculando uma perda de peso de até 500g por semana, de forma segura e com bons resultados a longo prazo.